Últimas Noticias

9 Dúvidas sobre o Botox

Botox É natural que a pele sofra danos relacionados a idade. O Botox é uma das técnicas reparadoras de pele mais populares e discutidas no mundo. Existem muitos mitos em torno deste tratamento de vanguarda, que também é considerado uma bênção para todos os pacientes que sofrem de desgaste da pele e rugas que ocorrem devido ao envelhecimento.

Todos podem revitalizar a pele com a ajuda de um tratamento bem-sucedido de Botox e vencer os efeitos do envelhecimento. O tratamento com Botox é escolhido por uma grande massa global, incluindo pessoas comuns, empresários e celebridades. Afinal, quem não quer ter uma aparência jovem, fresca e atraente! É por isso que separamos alguns fatos vitais para esclarecer todos os mitos que cercam o tratamento com Botox.

 

Botox: informações

1. Tratamento na hora certa!

Muitos acham que é preciso deixar o problema se agravar antes de realizar esse procedimento: mas não espere que as rugas piorem para fazer um tratamento com Botox! Se você começar a notar algumas linhas finas na testa ou perto dos olhos, consulte um especialista em cosmética. O tratamento precoce irá facilmente curar suas rugas e evitar as rugas estáticas que requerem muitas injeções de Botox e tempo para desaparecer.

2. É ruim tomar mais injeções de Botox?

É um mito que a qualidade da pele se alterará com as injeções de Botox. A substância apenas preenche falhas no rosto causadas pela perda natural de cartilagem com o decorrer da idade. No entanto, utilizar a dose apropriada de Botox sem exageros gera resultados prolíficos sem quaisquer efeitos colaterais.

3. A primeira experiência de Botox!

Em sua consulta com a dermatologista, antes da primeira aplicação de Botox, você precisa discutir suas alergias, problemas de pele anteriores, medicamentos que esteja utilizando e problemas de saúde. Quando você se encontrar com o seu médico para a sessão de consulta, ele ou ela poderá aconselhá-lo a interromper o consumo de alguns medicamentos, incluindo anticoagulantes. Após um período de tempo específico, você precisa se preparar para o tratamento final seguindo as instruções do médico. A sessão dificilmente dura mais de 25-20 minutos e permite que você continue sua programação normal sem ter nenhum problema. Seguindo as orientações do profissional, você não precisará se preocupar muito com os efeitos posteriores do processo de Botox.

4. Escolhendo o profissional correto!

É comum ver ofertas e anúncios relacionados ao tratamento com Botox que apresentam descontos irreais. No entanto, ao escolher um profissional para realizar esse procedimento, tenha em mente que, se o seu Botox der errado, você terá que pagar muito além do seu dinheiro – sua saúde está em jogo. Procure apenas especialistas em Botox certificados e experientes. E lembre-se: proteja sua pele mesmo após o tratamento com Botox. O Botox é uma solução reparadora de pele de longo prazo, mas você deve evitar o calor, o sol, e a poluição. Utilize sempre protetor solar! Siga as instruções dadas pelo seu médico após o tratamento com Botox e observe as diferenças dentro de uma semana.

5. O que é, exatamente, uma injeção de Botox?

O Botox é uma substancia que naturalmente inibe as contrações musculares, bloqueando os sinais nervosos. Usando uma agulha fina, o Botox é injetado no músculo selecionado, resultando em uma aparência relaxada e amolecida na superfície. As áreas escolhidas para injeção são geralmente as rugas ao redor dos olhos, conhecidas como pés de galinha, linhas de expressão, linhas profundas na testa, rugas no sorriso e rugas nos lábios – são esses os pontos comuns onde o Botox é usado.

6. Preparação antes do procedimento é necessária? 

Sim! Antes de seu procedimento de Botox, você terá uma consulta com seu médico descrevendo como você deve se preparar para o Botox. Uma semana antes do procedimento, evite o álcool. Duas semanas antes, certifique-se de parar de usar aspirina e medicamentos anti-inflamatórios. Essas medidas específicas ajudarão no pós-tratamento de hematomas.

7. Quanto tempo os efeitos durarão? 

As injeções de Botox duram 3-5 meses. Após o procedimento, o movimento muscular retornará lentamente às áreas tratadas nos próximos meses. Conforme você recebe injeções regulares de Botox, seus músculos serão treinados para relaxar mais e o tratamento durará um pouco mais.

8. Que efeitos colaterais posso esperar do Botox?

Hematomas são o efeito colateral mais comum, mas irão se dissipar em algumas semanas. As dores de cabeça são raras, mas podem durar de um a dois dias. Alguns pacientes apresentam queda da pálpebra que irá parar dentro de algumas semanas. Isso ocorre conforme o Botox se move e se acomoda. Esteja atento à área tratada e evite esfregá-la ou tocá-la por 12 horas. Além disso, certifique-se de não se deitar na primeira hora após o procedimento.

9. E a pergunta final, mas mais importante é: o Botox é seguro para mim? 

Sim. O procedimento é aprovado pelos órgãos regulamentadores – mas se você tiver certas condições, não deve fazer. Se você estiver grávida, amamentando ou tiver uma doença neurológica, seu médico lhe dirá para não receber tratamentos com Botox! Mas lembre-se: esse procedimento, quando feito por profissional responsável, não oferece perigo a sua saúde.

Entre em contato com a nossa clínica! Telefone: (73) 3668-2394. Endereço: Praça de Independência, 80 – Centro, Trancoso – BA.

Facebook   Instagram   Contato

Mitos e verdades sobre a covid-19

covid-19

Pode ser tornar difícil digerir todas as informações sobre a pandemia – e talvez ainda mais difícil distinguir os fatos sobre a COVID-19 da ficção e de boatos infundados. Para tornar um pouco mais fácil, desmascaramos alguns dos maiores mitos sobre o COVID-19:

MITO: Os casos de COVID-19 estão crescendo porque estamos testando mais pessoas.

FATO: Embora mais testes possam contribuir para mais casos positivos, nossa comunidade observou um aumento geral na porcentagem de casos positivos – em se comparado com as mesmas quantidades de testes feitas antes e depois, a quantidade de testes positivos subiu. É assim que se mede a escala de aumento do vírus. De igual forma, o número diário de hospitalizações por COVID-19 também cresceu se em comparado com o início da pandemia.

MITO: O principal objetivo de uma máscara é me proteger de pegar COVID-19.

FATO: A máscara pode impedir a entrada de algumas gotículas e vírus, protegendo a pessoa que a usa. Porém, o mais importante é que ele mantém a maioria das gotículas e vírus DENTRO. Isso é chamado de “controle de origem” – controlar a origem do vírus. Usar uma máscara protege outras pessoas de contraírem o vírus de alguém, caso ela tenha o vírus e não saiba. Outros ao seu redor também devem usar máscaras e distanciar-se socialmente para serem ainda mais protegidos. Evidências emergentes de estudos de pesquisa continuam a nos ajudar a aprender mais sobre a eficácia de máscaras e coberturas faciais de tecido.

MITO: Se não me sentir mal, não tenho COVID-19.

FATO: Muitas pessoas que têm COVID-19 não apresentam sintomas ou apresentam sintomas mínimos. Os pesquisadores ainda estão tentando entender a demanda de pessoas assintomáticas – quantas pessoas carregam o vírus sem sintomas. As estimativas chegam a dois em cinco, ou seja, 40%, das pessoas com COVID-19 não apresentam sintomas ou apresentam sintomas mínimos. Dessa forma, como não sabemos a taxa de carga viral transmitida por pessoas assintomáticas, todos devemos tomar precauções como distanciamento social, uso de máscaras e lavagem das mãos para reduzir a propagação da infecção.

MITO: Se todos nós usamos máscaras, não precisamos respeitar o distanciamento social de 2 metros.

FATO: Coberturas faciais de pano e máscaras NÃO substituem o distanciamento social. Sempre que você estiver fora de sua casa ou perto de alguém fora de seu círculo familiar imediato, você deve ficar a pelo menos 1,8 m de distância de outras pessoas, além de usar uma máscara. Somente estas duas ferramentas combinadas podem mantê-lo seguro.

MITO: Se eu for jovem e contrair COVID-19, ficarei bem.

FATO: Embora a idade avançada possa ser um fator de risco para o agravamento da doença, pessoas mais jovens também podem ficar gravemente doentes e até morrer de COVID-19. Certas condições médicas também podem representar riscos, incluindo câncer, doença renal crônica, doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), sistema imunológico enfraquecido devido ao transplante de órgãos, obesidade e diabetes.

Outro ponto interessante é: mesmo se você for jovem e se recuperar, pegar o coronavírus pode ter algumas consequências residuais para a saúde. É possível que você perca de 10 a 20% de sua capacidade pulmonar ou sofra outros efeitos duradouros. Ainda, como os jovens podem ser portadores assintomáticos de COVID-19, eles podem infectar outras pessoas sem saber. É por isso que é importante que todos tomem precauções de segurança!

MITO: Crianças não podem obter COVID-19.

FATO: Embora seja menos provável que as crianças apresentem sinais graves de doença, qualquer pessoa em qualquer idade pode ser infectada e algumas crianças apresentaram sintomas graves e incomuns. Além disso, não temos certeza das consequências para a saúde a longo prazo. Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças recomendam que crianças a partir de 2 anos usem uma cobertura de pano para o rosto em público, além de lavar as mãos com frequência e evitar pessoas que estejam doentes.

MITO: Não preciso tomar precauções quando estou fora de casa, ao ar livre, porque o vírus tem menos probabilidade de se espalhar.

FATO: Embora o vírus tenda a se dispersar ao ar livre, ele ainda pode se espalhar de pessoa para pessoa quando elas estão em contato próximo (a menos de 2 metros). Continue a tomar as mesmas precauções fora e dentro de casa.

MITO: Se eu tiver COVID-19, mas não apresentar sintomas, não posso transmitir o vírus para outras pessoas.

FATO: Você ainda pode espalhar o vírus se tiver COVID-19, mas sem sintomas. Portanto, é importante que todos – incluindo aqueles que não se sentem doentes – tomem precauções como usar a máscara para cobrir o rosto e manter uma distância social de 1,8 m dos outros.

MITO: Usar uma máscara ou cobertura facial pode ser prejudicial porque posso respirar dióxido de carbono ou não recebo oxigênio suficiente.

FATO: Máscaras e coberturas faciais não afetam seus níveis de oxigênio ou dióxido de carbono e são seguras para uso por pessoas saudáveis ​​por longos períodos de tempo. Mesmo as máscaras N95, o tipo de máscara reservada para profissionais médicos, não representam qualquer risco de envenenamento por dióxido de carbono ou acesso deficiente ao oxigênio.

A prevenção é o melhor caminho: cuide de si e do outro, se precisar sair, use sempre máscara!

Entre em contato com a nossa clínica! Telefone: (73) 3668-2394. Endereço: Praça de Independência, 80 – Centro, Trancoso – BA.

Facebook   Instagram   Contato

Tudo o que você precisa saber sobre harmonização facial com ácido hialurônico

Harmonização FacialHarmonização Facial

Muito se tem falado nas redes sobre os milagres da harmonização facial – procedimento capaz de transformar uma pessoa. No entanto, ainda existem muitas dúvidas sobre o assunto. Afinal, do que se trata esse procedimento?

A harmonização, por mais incríveis que os resultados possam parecer, se trata de uma técnica não cirúrgica de preenchimento facial. Seu toque de mágica está na combinação de técnicas de visagismo e de procedimento clínico para realçar a beleza natural do paciente, alinhando e corrigindo ângulos da face para dar mais harmonia e beleza ao rosto.

Normalmente, para esse procedimento, são utilizadas técnicas de preenchimento facial com ácido hialurônico, produto considerado de baixo risco. Explicamos – o ácido hialurônico é considerado um biomaterial. Sendo assim, possui baixíssimos índices de efeitos colaterais. É por isso que não existe idade mínima para a realização da harmonização facial. Mas fique atento! Ainda assim, por precaução, o procedimento é contraindicado para pessoas com doenças autoimunes, alérgicos, grávidas, lactantes e pessoas com histórico de queloides.

Mas e os resultados? São permanentes? A resposta é não. Nos casos em que o procedimento é feito com biomaterial é comum que o organismo o elimine entre 12 e 24 meses após a aplicação. Por esse motivo, os resultados são temporários. A boa notícia é que, por se tratar de procedimento não invasivo, pode-se refazer as aplicações, mantendo tanto a saúde do paciente quanto a estética desejada.

Como são feitas as aplicações? Fique tranquilo! O profissional que estará acompanhando o procedimento deve indicar as áreas do rosto que estão em desarmonia, sempre ouvindo também as preferências do paciente. O diálogo é muito importante nesse momento, portanto, não tenha receio de conversar com seu médico.

Será através de uma análise do rosto do paciente que serão indicados os preenchimentos em cada área do rosto, sempre respeitando as distâncias e ângulos que compõe a melhor aparência, dando maior equilíbrio e simetria à face, mas também seguindo seus padrões anatômicos sem exageros ou mudanças radicais.

Qual padrão é determinante para a melhor aparência? Se olharmos para os 3 traços faciais proeminentes – que são o nariz, as bochechas e o queixo – é imprescindível que todos tenham uma projeção proporcional entre si, a fim de alcançar a harmonia facial máxima.

Por exemplo, se o queixo for desproporcional, o nariz e as bochechas parecerão maiores. Portanto, não é aconselhável aumentar as bochechas quando o queixo está em desequilíbrio, a fim de não criar desequilíbrio e desarmonia ao rosto. O realce facial requer muito conhecimento e olhar artístico para obter a aparência mais natural e ajudar o paciente a ter a melhor aparência.

Além disso, a harmonização do rosto pode abranger também procedimentos odontológicos – é a chamada harmonização orofacial. A harmonização facial pode englobar diversos procedimentos estéticos envolvendo dentes, lábios, gengivas, podendo estar relacionada às funções dos músculos faciais, bem como às expressões faciais e possíveis marcas de expressão.

O mais importante de tudo: a harmonização do rosto é recomendada para qualquer pessoa que se sinta incomodada com sua aparência, para trazer mais alegria e autoestima – afinal, todos merecemos nos sentir bem e demonstrar o melhor de nosso potencial. O procedimento é especialmente indicado para pessoas que se sintam incomodadas com as mudanças do organismo que se acumulam com o passar do tempo, como a perda do volume facial, rugas e flacidez. Seus principais benefícios a esses pacientes são a característica não invasiva e os resultados imediatos.

Como é a recuperação? A recuperação tende a ser muito tranquila, simples e rápida, por não ser um procedimento cirúrgico. É natural haver um pouco de inchaço local, mas não há nenhuma necessidade de afastamento ao trabalho ou atividades do cotidiano. Um pouco de vermelhidão é esperado, lembrando que qualquer reação atípica deve ser informada ao profissional que realizou o procedimento.

Ressalta-se que as recomendações no período de recuperação consistem em proteger a pele da exposição solar, por meio do uso de protetores solares e aparatos que evitem o contato direto com os raios solares, além de não fazer massagens faciais nos locais de aplicação para não prejudicar o assentamento da substância preenchedora.

Demora para observar os resultados da harmonização facial? A resposta é não! Um dos principais benefícios é o resultado instantâneo, com resultados já perceptíveis ao final da aplicação. Contudo, recomenda-se aguardar de 15 a 30 dias para análise dos resultados finais do procedimento e necessidade de retoque, tempo necessário para que todo o inchaço do local seja absorvido.

É nesse sentido que a harmonização facial vai analisar seu rosto como um todo para realçar sua melhor aparência de uma forma geral. Com a evolução da estética e da odontologia, a harmonização facial tem sido cada vez mais buscada pelos excelentes e surpreendentes resultados que traz no rosto e no sorriso.

Possui mais dúvidas? Entre em contato conosco!

Entre em contato com a nossa clínica! Telefone: (73) 3668-2394. Endereço: Praça de Independência, 80 – Centro, Trancoso – BA.

Facebook   Instagram   Contato