Mitos e verdades sobre a covid-19

13 nov 2020

covid-19

Pode ser tornar difícil digerir todas as informações sobre a pandemia – e talvez ainda mais difícil distinguir os fatos sobre a COVID-19 da ficção e de boatos infundados. Para tornar um pouco mais fácil, desmascaramos alguns dos maiores mitos sobre o COVID-19:

MITO: Os casos de COVID-19 estão crescendo porque estamos testando mais pessoas.

FATO: Embora mais testes possam contribuir para mais casos positivos, nossa comunidade observou um aumento geral na porcentagem de casos positivos – em se comparado com as mesmas quantidades de testes feitas antes e depois, a quantidade de testes positivos subiu. É assim que se mede a escala de aumento do vírus. De igual forma, o número diário de hospitalizações por COVID-19 também cresceu se em comparado com o início da pandemia.

MITO: O principal objetivo de uma máscara é me proteger de pegar COVID-19.

FATO: A máscara pode impedir a entrada de algumas gotículas e vírus, protegendo a pessoa que a usa. Porém, o mais importante é que ele mantém a maioria das gotículas e vírus DENTRO. Isso é chamado de “controle de origem” – controlar a origem do vírus. Usar uma máscara protege outras pessoas de contraírem o vírus de alguém, caso ela tenha o vírus e não saiba. Outros ao seu redor também devem usar máscaras e distanciar-se socialmente para serem ainda mais protegidos. Evidências emergentes de estudos de pesquisa continuam a nos ajudar a aprender mais sobre a eficácia de máscaras e coberturas faciais de tecido.

MITO: Se não me sentir mal, não tenho COVID-19.

FATO: Muitas pessoas que têm COVID-19 não apresentam sintomas ou apresentam sintomas mínimos. Os pesquisadores ainda estão tentando entender a demanda de pessoas assintomáticas – quantas pessoas carregam o vírus sem sintomas. As estimativas chegam a dois em cinco, ou seja, 40%, das pessoas com COVID-19 não apresentam sintomas ou apresentam sintomas mínimos. Dessa forma, como não sabemos a taxa de carga viral transmitida por pessoas assintomáticas, todos devemos tomar precauções como distanciamento social, uso de máscaras e lavagem das mãos para reduzir a propagação da infecção.

MITO: Se todos nós usamos máscaras, não precisamos respeitar o distanciamento social de 2 metros.

FATO: Coberturas faciais de pano e máscaras NÃO substituem o distanciamento social. Sempre que você estiver fora de sua casa ou perto de alguém fora de seu círculo familiar imediato, você deve ficar a pelo menos 1,8 m de distância de outras pessoas, além de usar uma máscara. Somente estas duas ferramentas combinadas podem mantê-lo seguro.

MITO: Se eu for jovem e contrair COVID-19, ficarei bem.

FATO: Embora a idade avançada possa ser um fator de risco para o agravamento da doença, pessoas mais jovens também podem ficar gravemente doentes e até morrer de COVID-19. Certas condições médicas também podem representar riscos, incluindo câncer, doença renal crônica, doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), sistema imunológico enfraquecido devido ao transplante de órgãos, obesidade e diabetes.

Outro ponto interessante é: mesmo se você for jovem e se recuperar, pegar o coronavírus pode ter algumas consequências residuais para a saúde. É possível que você perca de 10 a 20% de sua capacidade pulmonar ou sofra outros efeitos duradouros. Ainda, como os jovens podem ser portadores assintomáticos de COVID-19, eles podem infectar outras pessoas sem saber. É por isso que é importante que todos tomem precauções de segurança!

MITO: Crianças não podem obter COVID-19.

FATO: Embora seja menos provável que as crianças apresentem sinais graves de doença, qualquer pessoa em qualquer idade pode ser infectada e algumas crianças apresentaram sintomas graves e incomuns. Além disso, não temos certeza das consequências para a saúde a longo prazo. Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças recomendam que crianças a partir de 2 anos usem uma cobertura de pano para o rosto em público, além de lavar as mãos com frequência e evitar pessoas que estejam doentes.

MITO: Não preciso tomar precauções quando estou fora de casa, ao ar livre, porque o vírus tem menos probabilidade de se espalhar.

FATO: Embora o vírus tenda a se dispersar ao ar livre, ele ainda pode se espalhar de pessoa para pessoa quando elas estão em contato próximo (a menos de 2 metros). Continue a tomar as mesmas precauções fora e dentro de casa.

MITO: Se eu tiver COVID-19, mas não apresentar sintomas, não posso transmitir o vírus para outras pessoas.

FATO: Você ainda pode espalhar o vírus se tiver COVID-19, mas sem sintomas. Portanto, é importante que todos – incluindo aqueles que não se sentem doentes – tomem precauções como usar a máscara para cobrir o rosto e manter uma distância social de 1,8 m dos outros.

MITO: Usar uma máscara ou cobertura facial pode ser prejudicial porque posso respirar dióxido de carbono ou não recebo oxigênio suficiente.

FATO: Máscaras e coberturas faciais não afetam seus níveis de oxigênio ou dióxido de carbono e são seguras para uso por pessoas saudáveis ​​por longos períodos de tempo. Mesmo as máscaras N95, o tipo de máscara reservada para profissionais médicos, não representam qualquer risco de envenenamento por dióxido de carbono ou acesso deficiente ao oxigênio.

A prevenção é o melhor caminho: cuide de si e do outro, se precisar sair, use sempre máscara!

Entre em contato com a nossa clínica! Telefone: (73) 3668-2394. Endereço: Praça de Independência, 80 – Centro, Trancoso – BA.

Facebook   Instagram   Contato