O que você precisa saber sobre a ACNE.

21 set 2020

Por Brunna Mayrinck, médica dermatologista.

Acredito que precisamos ter essa conversa. Você sabe o que é a acne? A acne se trata de uma doença crônica e inflamatória da pele que causa manchas, cravos, espinhas, cistos e nódulos, podendo acometer as regiões do rosto, ombros, costas, pescoço, tórax e braços do paciente. Pesquisas recentes demonstram que a acne é a doença de pele mais comum no Brasil, afetando 56,4% da população. Sendo assim, convido você a aprender um pouco mais sobre esse mal tão comum.

Geralmente essa doença ocorre durante a puberdade, pela ativação das glândulas sebáceas, mas nada impede seu surgimento em qualquer idade. A pele humana tem poros que se conectam às glândulas sebáceas e folículos. Os folículos produzem e secretam líquido. Para explicar com maior facilidade, é como se as glândulas sebáceas, estimuladas por hormônios, produzissem óleo. Esse líquido oleoso é chamado sebo. O sebo carrega as células mortas da pele através dos folículos para a superfície da pele. E quando a acne acontece? Quando esses folículos são bloqueados e a oleosidade se acumula sob a pele. E esse processo, apesar de não ser perigoso, pode deixar cicatrizes na pele.

O acúmulo de células mortas e sebo podem se agrupar em uma espécie de tampão, que ao ficar infectado com bactérias resulta em inchaço, criando as tão temíveis espinhas. A vilã dessa história é a propionibacterium acnes, uma palavra difícil, mas que nomeia a bactéria responsável por contribuir para o surgimento da acne.

Uma série de fatores pode desencadear a acne – mas acredita-se que a principal causa seja hormonal, com o aumento dos níveis de testosterona, que estimula as glândulas sebáceas. Quando aumentada pelo estímulo, essa glândula produz mais sebo, que em excesso pode quebrar as paredes celulares dos poros, causando o crescimento de bactérias.

Outros gatilhos possíveis são fatores genéticos ou medicamentosos. Por exemplo: medicamentos que contém testosterona ou lítio, cosméticos gordurosos, mudanças hormonais, e o próprio ciclo menstrual podem desencadear a acne.

Mas qual tratamento seguir? Isso depende da gravidade e persistência do problema. Apesar de existirem muitos remédios caseiros nem todos tem fundamento científico.

A acne leve pode ser tratada com medicamentos de venda livre, como géis, sabonetes, cremes e loções que são aplicados na pele. Lembre-se que a acne pode afligir peles secas, mistas ou oleosas, sendo que os cremes e loções são melhores para peles sensíveis e os géis à base de álcool são melhores para peles oleosas.

Contudo, casos mais graves da doença devem ser tratados por remédios controlados como a isotretinoína (Roacutan), medicação corticosteroide ou antibióticos orais, que podem ser prescritos por até 6 meses para pacientes com acne moderada a grave. Outra opção medicamentosa, para mulheres, são os anticoncepcionais orais, a depender do caso. Pomadas antimicrobianas de uso tópico também são recomendadas.

É necessário salientar: consultar um médico dermatologista para achar o melhor tratamento para o seu caso é essencial. Medicamentos como isotretinoína (Roacutan), podem acarretar efeitos colaterais potencialmente graves (como pele seca, lábios secos, hemorragias nasais, anomalias fetais se usado durante a gravidez e alterações de humor). Medicações só devem ser prescritas por médico habilitado.

O surgimento da acne, como foi explicado, tem vários fatores. Não há maneira de prever sua aparição, mas uma boa alimentação é o melhor caminho para a prevenção de qualquer doença.

Pessoas que consomem uma dieta de baixo índice glicêmico, composta de carboidratos não refinados, tem menor risco de desenvolver acne. Os carboidratos não refinados são encontrados em grãos inteiros, leguminosas e frutas e vegetais não processados.

Em estudos publicados nas revistas Journal of Cutaneous and Ocular Toxicology e BioMed Research International Journal, os pesquisadores descobriram que alimentos que contém zinco, vitaminas A, E e antioxidantes naturais também são considerados benéficos para a pele por reduzirem inflamações.

Outras opções de alimentos com nutrientes responsáveis pela manutenção da saúde cutânea são frutas e vegetais amarelos e laranjas, como cenoura, damasco e batata doce. Além disso, também ajudam vegetais de folhas verdes escuras, castanhas de caju, tomates, amoras, pães integrais, arroz integral, quinoa, peru, sementes de abóbora, feijão, ervilha, lentilha e nozes, além de salmão, cavala e outros tipos de peixes gordurosos.

Ressalta-se que o corpo de cada pessoa é diferente e algumas descobrem maior propensão à acne quando comem certos alimentos. Sob a supervisão do seu médico pode ser útil fazer experiências para ver o que funciona melhor para você, sempre levando em consideração quaisquer alergias alimentares ou sensibilidades que você possa ter ao planejar sua dieta.

Apesar de os supracitados estudos sugerirem que certos alimentos podem ajudar a eliminar a acne e melhorar a saúde da pele, não existe uma “cura” definitiva para a doença.

Lembre-se de que é necessário, antes de modificar sua dieta ou iniciar algum tipo de tratamento, conversar com seu médico para se certificar de que as mudanças que você planejar não acarretarão em prejuízo a sua saúde.

 

Tem enfrentado problemas com acne? Entre em contato com a nossa clínica! Telefone: (73) 3668-2394. Endereço: Praça de Independência, 80 – Centro, Trancoso – BA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *